N

Neste blog por vezes escreve-se segundo a nova ortografia, outras vezes nem por isso.


sábado, 16 de abril de 2016

ESTRATÉGIA DA TRETA


Há jovens jogadores, raros, que devido à sua precoce capacidade competitiva, para evoluírem, têm de jogar um escalão acima. Fazer desta exceção uma regra é colocar em causa décadas de pesquisa sobre formação desportiva. Com o apetite por outro ovo dourado como o Renato Sanches estamos a estrangular a galinha. Uma época horrível para equipa B e juniores. Os juvenis parece que vão pelo mesmo caminho. Ninguém forma a perder. Revejam a estratégia, por favor.

JL

8 comentários:

  1. Não concordo e os alemães pensam o mesmo. Décadas de pesquisa sobre formação desportiva? Não acredito. Links please.

    ResponderEliminar
  2. O que aprendem os miudos se ganharem sempre?

    ResponderEliminar
  3. Se a equipa B desce de divisão acabam por decapitar a galinha que vai continuar a correr desenfreadamente e sem rumo, ao estilo da equipa B... fico também com a sensação que os treinadores dos juniores e da equipa B não têm ajudado, mas posso estar enganado.

    ResponderEliminar
  4. é o completo exagero mesmo que não existindo o tal super dotado fazer subir um ou dois jogadores pode fazer sentido agora fazer subir mais de meia equipa é a loucura completa.
    como sempre vamos do oito ao oitenta um pouco de equilíbrio é o que se pede.

    ResponderEliminar
  5. É triste o que se passa na B. Nos juniores é uma vergonha

    ResponderEliminar
  6. Os que tão mal diziam da formação sem deixarem perfazer sequer um ciclo de planeamento no CFC, começaram a "calar" quando os primeiros resultados começaram a aparecer. São os mesmos que passaram a criticar o não aproveitamento dos PRIMEIROS atletas nascidos e criados totalmente na Escola. Uns excelentes Bernardo, Cavaleiro e Cancelo.

    Agora que já todos perceberam terem os miúdos sido deitados fora por um "catedrático" da Picheleira, toca a repetir a mesma pretensa "sagacidade". Pretender que os ciclos de formação comecem a apresentar resultados antes da sua conclusão.
    A verdade é que esta opção por subir os nossos miúdos um escalão nas competições ainda não completou sequer um ciclo. Não há com toda a certeza ninguém envolvido na formação do clube que não tenha a noção das dificuldades que esta opção encerra. Mas também me parece que assim que o ciclo se complete teremos obtido mais uma vantagem competitiva muito semelhante à que a CFC nos trouxe, mas pelas quais tivemos de esperar. Chama-se a isso construir a longo prazo. Que construir a longo prazo seja hoje em dia um estigma para os apressados da vida é só um problema deles, não de um clube centenário baseado desde inicio numa proposta de união inclusiva, de continuidade e crescimento, de resistência a populismos e de adesão a objectivos de futuro.
    Deixem lá fechar o ciclo e depois tirem conclusões sobre esta opção. Cá estaremos então para a avaliar e daí tirar consequências, até lá conclusões destas parecem-me somente mais um exercício da pressa que nos move nestes tempos esbaforidos.
    Um pouco de calma amigos!

    PS. Papoilas homem, você vive com o pito aos pulos. Esta época tem-se assemelhado mais a um franganito do que uma Águia. As suas opiniões estão cada vez mais previsíveis. Basta molhar a ponta do dedo, levantá-lo ao vento e ver de que lado sopra.

    ResponderEliminar
  7. Há uma certeza que todos, penso eu, temos: a B a descer de divisão não seria coisa boa para o Benfica.

    ResponderEliminar