N

Neste blog por vezes escreve-se segundo a nova ortografia, outras vezes nem por isso.


sábado, 18 de fevereiro de 2017

A ESTÁTUA


A história conta-se em três penadas. Um grande benfiquista teve a ideia e a iniciativa de propor uma moção em sede de Orçamento Participativo da CML para a colocação de uma estátua a Cosme Damião em Lisboa.
Essa moção foi a votos e, com a colaboração de milhares de adeptos do Glorioso, foi aprovada. O proponente, porque se teve de ausentar para o estrangeiro, tomou a iniciativa de pedir apoio a um grupo de benfiquistas para a elaboração do projeto da estátua.
Escolheu-se uma foto de Cosme Damião sentado, e elegantemente equipado, e conseguiu-se que o escultor Francisco Simões a desenhasse. A ideia, que está na foto em baixo, era o nosso Cosme num banco de jardim, toda em bronze. Bonita, e de certa forma inédita, serviria, por exemplo, para nos deixarmos fotografar sentados ao lado do grande Cosme Damião.
Insistiu-se por todo o lado. Pressionou-se incessantemente a CML para avançar com o projeto. Chateou-se a Direção do Benfica, o departamento de marketing, sempre avesso às ideias dos outros. Parecia que se andava a bater com a cabeça numa parede.
Para se ter uma ideia, numa primeira reunião, os técnicos da CML nem sabiam sequer quem era Cosme Damião, muito menos como operacionalizar uma proposta eleita no tão propagado Orçamento Participativo
Durante muito tempo nem Benfica, nem CML mexeram uma palha, a ideia da Estátua parecia estar morta.
Contudo, em ano de eleições autárquicas, finalmente houve fumo branco. A Estátua será inaugurada a 28 de fevereiro, na rotunda diante das garagens da Luz, com 5,5 metros por 1,70m e será o já conhecido stencil de Cosme Damião sobre uma peanha. Um mamarracho. Sem qualquer personalidade. Uma ideia desleixada, feita com os pés, para despachar.
Mas o pior é que, no decurso disto tudo, a CML pura e simplesmente CAGOU para quem teve a ideia e não a deixou morrer! Nem um mail, nem um telefonema aos "cidadãos" que tiveram a ideia, e ao grupo que despendeu tempo e esforço para não a deixar morrer, ao longo dos vários anos! NADA!
A ideia:

A realidade:


JL
Durante muito tempo nem Benfica, nem CML mexeram uma palha, a ideia da Estátua parecia estar morta.
Contudo, em ano de eleições autárquicas, finalmente houve fumo branco. A Estátua será inaugurada a 28 de fevereiro, na rotunda diante das garagens da Luz, com 5,5 metros por 1,70m e será o já conhecido stencil de Cosme Damião sobre uma peanha. Um mamarracho. Sem qualquer personalidade. Uma ideia desleixada, feita com os pés, para despachar.
Mas o pior é que, no decurso disto tudo, a CML pura e simplesmente CAGOU para quem teve a ideia e não a deixou morrer! Nem um mail, nem um telefonema aos "cidadãos" que tiveram a ideia, e ao grupo que despendeu tempo e esforço para não a deixar morrer, ao longo dos vários anos! NADA!
JL

Durante muito tempo nem Benfica, nem CML mexeram uma palha, a ideia da Estátua parecia estar morta.

Contudo, em ano de eleições autárquicas, finalmente houve fumo branco. A Estátua será inaugurada a 28 de fevereiro, na rotunda diante das garagens da Luz, com 5,5 metros por 1,70m e será o já conhecido stencil de Cosme Damião sobre uma peanha. Um mamarracho. Sem qualquer personalidade. Uma ideia desleixada, feita com os pés, para despachar.

Mas o pior é que, no decurso disto tudo, a CML pura e simplesmente CAGOU para quem teve a ideia e não a deixou morrer! Nem um mail, nem um telefonema aos "cidadãos" que tiveram a ideia, e ao grupo que despendeu tempo e esforço para não a deixar morrer, ao longo dos vários anos! NADA!

JL



sábado, 28 de janeiro de 2017

NENHUM BARULHO POR TUDO


Nos últimos dois desaires, o Benfica sofreu cinco golos. Dos cinco, apenas um foi imaculado. E mesmo nesse, parecia que a bola tinha vida, desviando-se milagrosamente dos desesperados jogadores vermelhos, fazendo uma última e maldita curva para interior da baliza, como se os deuses a tivessem soprado.

Nunca na historia recente, e talvez mesmo em toda a sua história, o Benfica foi tão atacado. Nem mesmo quando Pinto da Costa era vivo.  Falar em colinho, benefícios, ajudas em relação a um clube com a historia do Sport Lisboa e Benfica não é simples difamação, é a consagração do no sense, só possível num país de ignorantes de memoria curta.

O silêncio tem sido a arma do Glorioso. Até agora letal, e para alguns, com efeitos de destruição massiva. Contudo, a frustração não desarma e o barulho começa a ter efeitos perversos no desenrolar das competições.

Há presidentes que cospem, empurram, escrevem demencialmente em redes socias, ladram fora e dentro do canil. Há treinadores que montam circos em conferências de imprensa e dissimulam investidas desonestas na boçalidade gramatical. Há anões que à beirinha do relvado, esse tapete sagrado do futebol, saltam, rebolam e dão cambalhotas à voz do dono. Todos são olhados com a indiferença com que olhamos para as desgraças do quotidiano. São assim, sempre foram, é da sua natureza. Desculpados vezes sem conta. Multados ao nível de uma qualquer EMEL.

Rui Vitória é Benfica. Da cabeça aos pés. No banco, no treino, nos contactos com os jornalistas. É um exemplo. Fossem todos Rui Vitória, fossem todos os clubes como o Benfica e havia um orgulho enorme em pertencer a este mundo chamado liga portuguesa.

Os 15 dias de castigo a Rui Vitória não é apenas uma aberração. Faz parte do plano B de uma estratégia falhada, cujo o objetivo deixou de ser a glória, mas a sobrevivência.

JL