N

Neste blog por vezes escreve-se segundo a nova ortografia, outras vezes nem por isso.


domingo, 1 de novembro de 2015

BREVES NOTAS ENTRE DOIS JOGOS


Não sei o minuto certo, mas estávamos certamente no último quarto de hora do jogo de Aveiro da última sexta-feira. A bola sobra para Talisca à entrada da área e este remata de primeira. A bola bate num defesa e engana o guarda-redes que se lança para o lado contrário. Infelizmente a bola sai ao lado. Porém, é pontapé de canto. Que me lembre foi o único momento positivo do jogador brasileiro. No jogo? Não, na época.

Todos de boca aberta ao verem o avançado Clésio no relvado e a defesa direito, ainda mais com o internacional português Eliseu na bancada. Com Semedo lesionado, com André Almeida como único trinco disponível para terça-feira, Rui Vitória não quis arriscar e guardou Eliseu para o jogo com os turcos. Até porque Clésio não está inscrito para jogos internacionais. Foi isto ou é um caso grave do foro psíquico.

O Benfica terminou a primeira parte com dois remates à baliza, não obstante estar a jogar, teoricamente, com dois pontas-lança. Este facto, apesar de estar a ganhar por 3-0, faria qualquer treinador mexer imediatamente na equipa. Só aconteceu aos 64 minutos, porque o avançado Clésio, que estava jogar a defesa direito, teve um problema muscular. Era muita intensidade para quem pouco joga na equipa B.

Carcela aqueceu do intervalo até aos 71 minutos. Foi só a partir dessa altura que o Benfica começou a atacar e a criar perigo junto da baliza adversária. E até marcou um golo nesses meros 20 minutos em que fez mais do que nos restantes 70. O golo foi precisamente do Carcela, só dele. Não sei quantas vezes o marroquino foi apanhado na noite, nem as vezes que o Vitória o avisou para não se agarrar tanto à bola, mas quem quer bem ao Benfica só pode estar a pedir uma generosa amnistia.   

Uma vitória com o Galatasaray deixa o Benfica nos oitavos da champions. Uma derrota deixa o Benfica em maus lençóis. Os turcos, que ainda vão a Madrid, não podem empatar. O Benfica tem Fesja e Samaris indisponíveis. Vai ter por isso de jogar com o Almeida e infelizmente com o Pizzi no meio-campo. O Raul não tem jogado bem e Mitroglou está em dúvida. Seria arriscar muito colocar o Gaitan no meio, com o Guedes e o Carcela nas alas? Os problemas trazem oportunidades.    

JL

1 comentário:

  1. Gaitán ao meio e sai Jonas? É que o brasileiro não ponta de lança...

    ResponderEliminar