N

Neste blog por vezes escreve-se segundo a nova ortografia, outras vezes nem por isso.


quarta-feira, 11 de julho de 2012

À VOLTA DE ÉVIAN


Carlos Martins renovou até 2016: aparentemente uma boa noticia para os benfiquistas que apreciam a garra, o querer e a qualidade futebolística deste jogador.
Há, porém, um senão: a permanência no plantel não está ainda assegurada, dependendo da douta decisão da eminência parda que põe e dispõe no nosso futebol.
O fim desta estória adivinha-se…


Ao que parece, em decisão de última hora, Jorge Jesus decidiu prescindir de Yartey e convocar Roderick para o estágio de Evian.
Uma vez mais, o mestre da táctica mostrou saber o que faz: o ganês era rapaz para mostrar serviço durante o estágio e com isso arranjar uma carga de sarilhos ao nosso treinador.
Assim, não há nada que saber: a porta da rua é a serventia da casa e, de resto, 50 jogadores melhores que Yartey, consegue Jesus em 15 minutos de zapping entre as 4 e as 5 da manhã quando a insónia aperta.


Ao fim de várias semanas de complicado enredo, terá terminado a novela “Rojo” que durante várias semanas animou os pasquins e irritou os benfiquistas.
Se o final foi feliz é coisa que veremos em breve, mas depois de Emerson não será difícil brilhar.
A propósito e sem ironias: um agradecimento público a Emerson pelo empenho, profissionalismo e respeito que sempre mostrou pelo Benfica.
Do resto, ele não tem qualquer culpa.


Ainda Simão, sempre Simão: na blogosfera benfiquista não há consenso e entre os que estão contra o regresso do antigo capitão, alega-se que é “um mau investimento”, aparentemente devido aos 32 anos e, pelos vistos, à impossibilidade de retorno financeiro.
Na minha santa ingenuidade e ignorância, eu continuava a acreditar que um mau investimento era contratar um tipo como, vejamos, Filipe Menezes, pagar-lhe ordenado durante 2 anos, despachá-lo para Brasil e possivelmente continuar a pagar-lhe parte do vencimento.
Ou, por exemplo, ir buscar um qualquer Fernandez à Argentina para o recambiar sem honra nem proveito nem glória ao fim de 5 meses.
Um bom investimento, ao invés, seria apostar em jogadores de qualidade que pudessem no imediato contribuir para o fortalecimento da equipa, para a melhoria do seu rendimento e da sua maturidade com coisas de somenos como assumir o jogo, resolver jogos e marcar uns golitos.
Bons tempos em que o velho 3º anel estava cheio de doidos que mal sabiam fazer contas de dividir mas que queriam ganhar jogos e campeonatos, não imaginando sequer o que poderiam significar conceitos profundos como investimento, retorno financeiro e coisas do género aplicadas a jogadores do Benfica…


Oscar Cardozo sobre uma possível saída: “não posso falar”.
Já cá faltava este…


               

RC

1 comentário: